Emoções que afetam parte superior, média e inferior das costas #Metafísica

Em cerca de 85 por cento dos pacientes com dor nas costas, nenhuma causa clara é identificada. Para diagnosticar a dor nas costas, uma série de tecnologias de imagem agora são regularmente empregadas mas ainda é muito difícil descobrir porque alguém está tendo dores crônicas nas costas. Com bastante frequência, os exames de imagem revelam anormalidades da coluna, como espondilolistese e hérnia de disco, e é tentador atribuir imediatamente dor nas costas a essas anormalidades. Mas tenha em mente que essas condições são frequentemente encontradas em pessoas que não apresentam nenhum sintoma de dor nas costas . Essas anormalidades podem não ter absolutamente nada a ver com a dor que você sente.

No antigo sistema de chakras que é seguido em muitas modalidades de cura, como acupuntura, acupressão, cura prânica e muitas outras terapias alternativas, todos os principais centros de energia (chakras) estão na espinha. Também de acordo com os ensinamentos antigos, nossa espinha é altamente significativa em nosso avanço espiritual. A Kundalini (Chi / energia secreta) reside como energia potencial na base da coluna e os grandes meditadores avançados são capazes de elevar essa energia através dos chakras para explorar / experienciar o despertar.

Sua espinha é composta de 33 vértebras empilhadas como blocos de construção inter camadas com discos de absorção de choque, nada menos que 641 músculos das costas e milhões de fibras nervosas permitem que você fique em pé e permita que você torça, dobre e permaneça imóvel. É um milagre que tomamos como garantido.

O que você está prestes a ler não é substituir tratamento médico. É para abrir a sua mentalidade para a possível conexão emocional que pode estar causando ou ampliando sua dor nas costas. A Coluna vertebral é o suporte não apenas de nossas cargas físicas, mas também das emocionais. Nossa espinha é nosso sistema de apoio e representa o suporte de vida e problemas com as costas geralmente significam que sentimos que não estamos sendo apoiados.

Coluna Cervical (C1 a C7) – pescoço

A Parte Superior das Costas tem a ver com a falta de apoio emocional; Sentindo que pessoas importantes em sua vida não o compreendem nem o apoiam. Você pode sentir-se mal amado, carente, abandonado ou pode estar retendo seu amor de alguém. Dor nas costas também pode significar que você sente que alguém está sempre de costas.

Ao mudar a crença de que você é responsável pela felicidade de outras pessoas, ela pode aliviar a dor na parte superior das costas e no pescoço. Quando você entende isso, estende esse entendimento ao outro, ou seja, o outro tão pouco é responsável pela sua felicidade, e você não deve depender da reação do outro pra se apoiar e ser quem é.

Quando você faz algo porque sente que tem que fazer para o outro para ser amado ou aceito está calculando uma reação esperada do outro a partir da sua ação. Você está dando todo o seu poder ao outro. É a reação dele que te importa mais do que você mesmo, e é a reação calculada e esperada dele que decide/define a sua ação, sua escolha, sua forma de ser e agir, assim o seu poder está dependente do outro sobre quem você não tem nenhum poder! Como você vai conseguir se estender, se colocar de pé em igualdade assim?

Quando você acredita que tem que fazer porque o bem estar e a felicidade e bem estar do outro depende disso, você está se sobrecarregando com um peso que não tem poder de carregar porque não te pertence. Entenda o fazer aqui como sendo sem o querer fazer, quando você precisa colocar muito esforço, quando tem um senso de obrigação que ultrapassa todos os seus limites saudáveis, quando é preciso abrir mão de si em prol disso. Entenda essa dinâmica como relação entre adultos não dependentes e que mesmo com crianças cujo você tenha responsabilidade, que dependem de você existe um limite, você dá o seu melhor e fica bem com isso porque é o seu melhor, ao mesmo tempo que está ensinando elas a respeitarem seus próprios limites o das outras pessoas e a ficarem do seu próprio lado quando atingirem esse limite e não puderem fazer mais, mesmo que gostariam de fazer, mesmo que lhes seja esperado mais. Alimentar culpa e ressentimento por julgar que o seu melhor agora não é bom o bastante destrói o seu apoio na vida.

  • Calcificações na cervical estão relacionadas a comportamento rígido, inflexível.
  • Hiperlordose Cervical evidenciam uma tristeza e dificuldade de acreditar na própria felicidade e/ ou uma pessoa que para não mostrar seu medo e necessidade do outro levanta o nariz.
  • A retificação da lordose anatômica cervical (perda da curvatura anatômica) relacionam-se a um excesso de exigência sobre si mesmo e perfeccionismo, uma pessoa que é inflexível com ela mesma principalmente a area a que se refere a parte superior das costas. Não aceita que não faz mais. Não fica do seu lado, não dá a si mesmo o apoio que espera dos outros.
  • Escoliose Cervical geralmente relaciona-se com uma tristeza do passado, a pessoa murcha em sua alegria e poder pessoal e a cabeça pende para um dos lados.

Coluna Torácica (T1 a T12) – tronco

Dor no meio das costas indicam dificuldade de posicionamento principalmente no que concerne suas emoções, essa região guarda o coração símbolo das emoções humanas:

Emocionalmente falando, a dor no meio das costas vem de se sentir culpado por “coisas” do passado inclusive posicionamentos. Talvez você tenha medo de explorar seu passado? Talvez você esteja escondendo o que está lá atrás? Você se sente esfaqueado pelas costas? Você se vê querendo gritar: “Saia das minhas costas!”. Se vê querendo, mas não faz, não se posiciona porque lá no passado quando o fez isso gerou algum problema que você considerou maior, e digno de culpar-se por. A pessoa não expõe o que sente mas se vê triste por não ser compreendida, atendida ou reconhecida. A pessoa não experiência as emoções de forma equilibrada de modo que ela as retém e as ressente ao invés de expressa-las e de ser apenas passagem para elas.

Vale pensar no que você colocou atrás do seu coração, o que você não quer ver, não admite que sente nem para si mesmo?

A fim de mover-se livremente para o seu futuro, você precisa liberar a raiva e a culpa do passado e abraçar seu presente e futuro com amor e leveza em seu coração. Sinta as emoções e deixe-as ir, não as retenha ou elas vão reter-te.

  • Calcificações na Dorsal estão relacionadas a tristezas profundas.
  • Hipercifose ( acentuação da cifose) evidenciam um esconder-se do Mundo, um encolher-se diante dos fatos que não sabemos como administrar.
  • Casos de retificação (perda da curvatura anatômica) relacionam-se de modo geral a um excesso de exigência sobre si mesmo.
    • As pessoas “retas”, retificadas nesta região, sofrem muito com a necessidade de ostentar o que não são. Elas entendem que sua sobrevivência e segurança dependem dessa ostentação.(consciente ou inconscientemente)
    • Casos de retificação que se relacionam mais ao perfeccionismo ocorrem em geral nas pessoas que foram muito cobradas e que acabaram se cobrando muito, especialmente a perfeição.
  • A Escoliose (curvatura lateral) da Região Dorsal em muitos casos relaciona-se ao “encurvar-se” diante de fatos que “não sei como”, ou “não posso mudar”, ou “sou forçado a aceitar”.
  • Hipercifóticos em geral são tristes e assumiram que a vida é triste mesmo, e nada se pode fazer para mudar.

A Metafísica da Dor no ombro e parte superior das costas: Seu coração está aberto?

PARTE INFERIOR DAS COSTAS

Coluna Lombar (L1 a L5 região da cintura) está relacionada ao “ter” na vida.

Dor Lombar  (sacral lombar e cóccix): Os tempos financeiros difíceis de hoje, são as suas finanças em uma bagunça? Você se preocupa com elas excessivamente? A falta de dinheiro, medo de não ter o suficiente, ou medo de perda material pode ser a causa de sua parte inferior das costas incomodando você. A quantidade de dinheiro que você tem não tem nada a ver com isso. É o medo da falta de apoio financeiro, o medo de sua própria sobrevivência que amplifica a dor e o excesso de cobrança, interna e externa.

Problemas na lombar relacionam-se em geral a insegurança, perdas, ou medo de perdas, ou de não conquistar, tanto no aspecto material, quanto emocional. A pessoa sente-se imobilizada gerando mais escassez.

  • A Hiperlordose Lombar, muitas vezes relaciona-se aos aspectos acima referidos, e em alguns casos relaciona-se à repressão sexual.
  • A Retificação Lombar pode ocorrer pelos motivos citados acima, pelo excesso de exigência de si mesmo e pelo perfeccionismo assim como na dorsal.
  • A Escoliose Lombar pode relacionar-se à rejeição intra-uterina, por patologia congênita óssea, o que às vezes também acontece na sétima cervical.

Eliminar a culpa paralisante, limpar o seu passado da raiva e transformar o seu medo em poder pessoal irá ajudá-lo a obter controle, bem-estar e encontrar a paz de espírito que você pode desejar em sua vida.

  • Se você deseja prevenir a dor lombar, a medida mais importante que você pode tomar é alongar e fortalecer os músculos centrais por meio de exercícios regulares. Yoga e Pilates são ideais para isso. O exercício aeróbico é útil porque fortalece o sistema cardiovascular, aumentando a circulação para os tecidos das costas. Esteja atento à sua postura: evite curvar-se, o que coloca uma grande tensão nas suas costas.

A Região Sacral está relacionada à sexualidade e a articular as mudanças necessárias

Problemas na Região Sacral relacionam-se a conflitos relacionados a sexualidade, sobretudo traumas e repressão e /ou a resistência de enfrentar algo que precisa ser mudado, protelar para tomar a decisão necessária. É como “se sentar nessa situação ”, em vez de se levantar e sair dela.

Nos casos de meninas que são esperadas meninos, é muito comum encontrarmos uma materialização sobre o sacro e dores na região. Estas mulheres, em geral, apresentam dificuldade nos relacionamentos íntimos, dificuldade de engravidar, cólicas menstruais, suscetibilidades a problemas no aparelho reprodutor (útero, ovários, seios etc.) frigidez. Homens com esse tipo de conflito materializam menos sobre o sacro, mas também manifestam problemas com a sexualidade, tanto com os relacionamentos, como no que diz respeito à suscetibilidade a problemas no aparelho reprodutor, inclusive em muitos casos sendo estéreis.

Não são apenas os problemas de coluna, mas todas as Articulações relacionam-se à nossa capacidade de nos “Articular” na Vida que é essencial para o nosso êxito tanto no trabalho, quanto nas relações e consiste na Flexibilidade e Maleabilidade, no jogo de cintura que precisamos ter para não desrespeitarmos os outros e nem a nós mesmos no processo da vida. Gerenciar as nossas emoções propicia comportamentos mais adequados e benéficos para nós mesmos.

Cura Prânica, EFT, Reiki, PNL, acupuntura e outras terapias alternativas se mostraram eficazes, mas é responsável utiliza-las de modo complementar, ou seja não troque o médico pelo terapeuta, utilize o conhecimento dos dois. Não adianta apenas olhar para a emoção e não corrigir a postura, não parar de fumar, não alongar etc, tanto quanto não adianta fazer todas essas coisas e não olhar para o seu psicológico e emocional. TIRE O “OU” DA SUA VIDA nessas questões. Use o que está disponível pra você, o holístico é um olhar integral, não é trocar a medicina por esoterismo, é considerar tudo e com um olhar individual porque cada ser é único.

Observe cuidadosamente o estresse, a depressão e a ansiedade, mochilas pesadas, postura inadequada, o não praticar exercícios, o excesso de peso, o tabagismo (se você fuma, pare – fumar literalmente priva seus discos vertebrais de oxigênio e nutrição) dieta pouco saudável , certos medicamentos e riscos do trabalho. Finalmente, encontre maneiras de relaxar se você estiver estressado, porque a tensão sozinha pode criar dor nas costas.

As emoções negativas produzem alterações metabólicas, alteração nos nossos hormônios e neurotransmissores. Isto é algo que devemos ter muito claro: Estados caracterizados pela angústia, medo, desapontamento, desânimo, significam desequilíbrio químico. Uma irregularidade entre a serotonina e a noradrenalina causa, por exemplo, um aumento na percepção da dor enquanto estresse ou ansiedade se traduzem em um maior nível de cortisol no sangue e aumento do ritmo cardíaco.  Quando acontece um “aceleramento” geral, há tensão muscular. Ou seja, músculos rígidos que alteram o equilíbrio dos nervos e dos ligamentos. 

A dor nas costas é um sintoma, então tratá-la em um nível físico é apenas uma solução de curto prazo. Entender e trabalhar a causa pode ajuda-lo a mudar hábitos, gerenciar suas emoções e ter uma vida melhor.

É importante ter a dor nas costas verificada por um médico.



HO´OPONOPONO
E KAHUNA REIKI

Aprenda a Cirurgia Espiritual Fortíssima do Kahuna. Para Quem Deseja limpar muitas das Suas Recordações Negativas e Destrutivas em Sua Vida, Traz para Seu Interior Muita Paz, Fé e Todo o Amor que Você Precisa.

Mãos de Luz

Aprenda as mais Variadas Técnicas de Mãos de Luz dos Essênios com Mantras Cristãos 

Reiki I e II

Conheça, Aprenda e Domine o uso e aplicação prática dos Símbolos do Sistema do Reiki Tradicional de Mikao Usui e o Sistema de Inspiração Tibetana dos Mantras de Poder. Essa Formação te proporciona conhecer com profundidade e colher os inúmeros benefícios de aplicar as poderosas técnicas de imposição de mãos em si mesmo ou em outras pessoas. 

A Doença Como Linguagem da Alma

O titulo A Doença como Caminho levou a alguns mal-entendidos. Ele deve ser encarado de maneira absolutamente literal e sem qualquer atributo de valor. A doença é um caminho que pode ser percorrido, nem bom nem mau em si mesmo. O que fazer a respeito depende única e exclusivamente do afetado. Eu vivenciei com uma série de pacientes como eles percorreram
conscientemente esse caminho e puderam constatar retrospectivamente que “seu excesso de peso”, “seu infarto do miocárdio” ou até mesmo “seu câncer” transformaram-se em uma grande oportunidade. Hoje é preciso assumir que foi seu infarto do miocárdio que levou santa Teresa de Ávila a percorrer o caminho que percorreu. Sabemos quão intimamente as visões de Hildegard von Bingen estavam ligadas à sua enxaqueca. Estas duas mulheres extraordinárias evidentemente receberam as mensagens transmitidas por seus sintomas e transformaram suas vidas de maneira exemplar. É isso exatamente o que exige A Doença como Caminho: aprender e crescer a
partir dos próprios sintomas.
Utilizar mal esse conceito e a filosofia que subjaz a ele é um grande mal entendido. O esoterismo não tem nada a ver com a atribuição de culpa, tratando-se, tal como esta explicitado extensamente no primeiro volume, de que cada pessoa é fundamentalmente culpada por ter se separado da unidade. Ser culpado não é uma questão de pequenas ou grandes faltas cometidas na vida cotidiana, mas de algo fundamental. A culpa humana primordial reside no abandono da unidade paradisíaca. A vida neste mundo
de opostos é necessariamente cheia de faltas e serve para que se reencontre o caminho de volta à unidade. Cada falta e cada sintoma significam elementos que faltam para a perfeição, transformando-se em oportunidades de desenvolvimento.


Distorcer o significado da doença para avaliar outras pessoas é um mal entendido sob vários pontos de vista. Ele não pode servir para a atribuição de culpa, já que a culpa primordial foi distribuída há muito e não precisa de nenhuma colaboração humana. Da mesma forma, poderíamos congratular os afetados por suas doenças devido às possibilidades de desenvolvimento e aprendizado nelas contidas. Os assim chamados “primitivos” estão bastante
mais avançados que nós nesse sentido, já que consideram os sintomas da doença como golpes do destino em suas vidas, e os aceitam de bom grado como provas. Em muitas tribos, o candidato a xamã sofre sua doença de iniciação, único meio que pode introduzi-lo em novos campos de experiência. Às vezes esse pensamento é seguido de maneira tão consequente que um
curandeiro somente pode tratar aqueles sintomas que ele mesmo padeceu de corpo e alma. Essa postura é forçosa caso se entenda o curandeiro como sendo um guia de almas pelos mundos interiores, já que, afinal, um guia de viagens deveria conhecer de antemão o país através do qual guia os outros. Entre nós existem somente traços dessa maneira de pensar. Assim, em alemão se reconhece a “cura enviada” (geschickte Heil, do latim salus = Heil) na palavra destino (Schicksal). Dever-se-ia pensar também nas provas de medicamentos dos homeopatas. Nesse caso, o médico penetra de livre e espontânea vontade no âmbito de experiências da doença para reconhecer o
padrão de seu medicamento, ou meio de cura. E finalmente esperamos com razão que um psicoterapeuta tenha viajado extensamente pelos países anímicos próprios e coletivos e que saiba aonde está acompanhando seu paciente. Acusar o fato fundamental e que nos une a todos, o estar doente de uma pessoa, uma difícil época de aprendizado com as correspondentes oportunidades de crescimento, não leva a lugar algum. Isso, pelo menos, não tem nada a ver com “a doença como caminho”, e sim com o desejo de atormentar alguém.
Quem transforma seu dedo indicador em arma e, “interpretando” seus sintomas, incrimina outras pessoas ou culpa a si mesmo em relação a isso, dá a entender além do mais que compreendeu mal todo o principio. O mau uso da interpretação como incriminação, segundo o lema “você está com prisão de ventre porque é um tremendo de um avarento!”, implica no desconhecimento do caráter de sombra que existe em cada sintoma de uma doença. Por definição, sombra é o que é inconsciente para o afetado. Por isso mesmo, a pessoa incriminada dessa maneira não poderá de modo algum aceitar a interpretação. Se ela soubesse que é avarenta, não haveria a menor razão para que tivesse prisão de ventre. A sombra não assume o ataque. Ao contrário, é preciso proceder com extrema cautela neste que é o tema mais difícil de nossa existência. O afetado precisa de toda a sua energia e de muito espaço em termos de ambiente para, de pequeno passo em pequeno passo, descobrir sua relação com o tema expresso no sintoma da doença. Para isso a valoração é tão prejudicial quanto a interpretação é significativa.
Quem culpa a si mesmo dessa maneira deixa igualmente de reconhecer as oportunidades de crescimento da doença. Ver o plano da alma através do sintoma não muda nada nem devido à culpa fundamental nem devido aos fatos concretos do problema em questão. Isso tampouco faz com que uma pessoa se tome melhor ou pior; ela se toma única e exclusivamente mais
sábia e com mais consciência de responsabilidade. Caso se ignore esse conhecimento e a responsabilidade nele implícita, pouco muda, tudo continua como antes. Caso contrário, se assume a responsabilidade pelo próprio destino, a doença transforma-se em oportunidade e possibilita responder às indicações do próprio padrão.
O procedimento para isso não é de forma alguma difícil. Qualquer um pode indicar na superfície do corpo, ou seja, colocar o dedo sobre o lugar que lhe causa incômodos. O objetivo deste livro é relacionar essa experiência com o plano anímico. Apontar com o dedo corpóreo era tão óbvio antes quanto o é agora. Trata-se de colocar o dedo na ferida em sentido figurado. Isso exige coragem, mas nem tanta assim, pois a ferida já está lá. Ela não surge no momento em que se coloca o dedo sobre ela, somente se torna mais consciente. Através desse passo corajoso obtém-se, a longo prazo, a possibilidade de curar-se.

Trecho do livro A Doença como a Linguagem da Alma

Sagrado Feminino: Consagração do Ventre

A Consagração do Ventre de Luz © é um processo de Despertar, Autocura e Transformação do Feminino.

São feitas limpezas e purificações de agressões, abusos, traumas, violência, doenças, desordens, crenças e limitações que impedem a mulher de ter uma vida plena, criativa, feliz, próspera e prazerosa.

E a cada Sintonização, a gente vai limpando, purificando e energizando a mulher em todo o seu ser. Assim ela se sente curada, amada, valorizada, aceita, acolhida, protegida, criativa, feminina e sensual.

Toda dor física é uma dor emocional. E por isso os problemas sexuais e ginecológicos têm uma relação emocional-energético e um tratamento corporal, energético e vibracional também. Seu corpo sofre através de TPM, cólicas menstruais, endometriose, cistos, nódulos, miomas, infertilidade, incontinência urinária, vaginismo, Baixa libido, falta de lubrificação, prazer sexual, orgasmos…

O momento de reconhecer a importância da Saúde Sexual e a Sexualidade Sagrada chegou. Se limpe, se cure e se liberte de tudo o que te impede de ter uma vida plena, saudável, prazerosa e feliz. Afinal, libido é ENERGIA VITAL. Se libido/energia sexual é energia de vida, a pessoa que não exerce sua sexualidade está numa “poça de lama” de energia vital estagnada, se adoecendo. Reveja suas crenças limitantes.

Acorde para a vida. Descubra seu clitóris. Desperte a criatividade de seu útero, de seu Ventre de Luz. É com isso que a Ginecologia Quântica®️ trabalha: Saúde Genital e Sexualidade Saudável. Despertar para AutoCura Corporal e Sexual através de Terapias Corporais-Vibracionais.

Sintonização Energética On-line a cada Lua Cheia. Faça a sua Aqui

Recursos para Mulheres trabalharem o Sagrado Feminino

Você deseja viver plenamente como a mulher apaixonada, espiritual, poderosa, amorosa, criativa e sensual que você sabe que realmente é?

Os 4 Arquétipos e Estações do Ciclo Menstrual

“Quando tentamos nos forçar a ser lineares e constantes, a ser as mesmas mulheres alegres, extrovertidas e produtivas todos os dias, estamos nos preparando para nos sentirmos fracassadas – e para suspeitar que perdemos a cabeça em certos momentos do mês. Lembre-se, as mulheres em nossa sociedade são socializadas para sempre serem simpáticas, cuidadoras, sempre se doarem e nunca mostram insatisfação. Talvez a melhor maneira de perceber suas emoções pré-menstruais é reconhecer que é um momento em que você finalmente se permite expressar as frustrações que a sociedade espera que você reprima.” -Toni Weschler

Sim, mulher é de Lua! Intrinsicamente cíclica! O ciclo feminino compreende quatro fases de acordo com as quatro fases da lua, tendo aproximadamente 28 dias e pode variar entre 24 e 35 dias, podendo ser dividido em: fase pré-ovulatória, fase  ovulatória, fase pré-menstrual e fase menstrual. Essas fases e suas energias ainda se relacionam com as estações do ano e com os arquétipos da donzela, mãe, feiticeira e anciã.

Semana 1: Inverno interno –  Por volta do dia 1-6 do seu ciclo menstrual, quando você está sangrando.
Semana 2: Primavera Interior – Por volta do dia 7 a 13, quando você está na fase de pré-ovulação.
Semana 3: verão interno – por volta do dia 14-21 durante a fase de ovulação.
Semana 4: Queda interna – Por volta do dia 22-29 durante sua fase lútea , pré menstrual(desaceleração novamente).

Cada mulher é única. Você pode acabar tendo um ciclo mais curto ou mais longo, o que incorpora uma certa estação/arquétipo mais longa do que as outras ao longo de cada mês. A Lua que o seu ciclo se relaciona no inicio pode ser outra, e você pode se sentir desconectada da lua, mas ao rastrear seu ciclo ele começa naturalmente a se alinhar ainda que de forma única. Após algumas mandalas a relação da sua fase cíclica com a fase da lua fica mais clara.

Semana 1 – A Anciã e o Inverno

  • Temporada: Inverno
  • Arquétipo: Mulher Sábia / Velha /anciã/bruxa
  • Fase de Sangramento – Menstruação
  • Lua nova

No período menstrual entramos no arquétipo da Anciã e na fase do inverno. Este é o primeiro dia em que você começa a sangrar e é a primeira semana do seu ciclo.

A fase de sangramento do ciclo é o momento em que nossa energia e hormônios estão baixos o tempo todo, temos menos energia física, nossa força está voltada para dentro. A maioria das mulheres, quando possível, descansam mais nos primeiros dias da sua “lua”. Nesse período podemos ter uma maior abertura para o inconsciente, nossas memórias e energias ancestrais, é um período de recolhimento em que precisamos entrar em nosso espaço sagrado.

De acordo com a sabedoria das mulheres antigas, a fase da anciã é uma época em que o véu entre os mundos se tornam mais tênues. Diz-se que uma mulher em sua lua é mais poderosa e tem um acesso mais profundo à sua própria sabedoria. Em tempos mais antigos, as mulheres se separavam dos homens durante o período de sangramento para se reunir em cabanas ou tendas menstruais para se renovar e se sintonizar com o mundo espiritual.

O inverno é uma época de reflexão interior, uma época de morte metafórica.

Hibernação e repouso são duas qualidades do inverno que caracterizam com precisão o que é esta fase para uma mulher. O inverno interno não é uma época para dar aos outros, mas para nós mesmas. Aprender a amar a si mesma durante esse período e respeitar seus limites é o comportamento mais saudável que podemos adotar para nós mesmos e nossa família. 

Durante o período de inverno também aprendemos a deixar ir, é a fase de renovação e limpeza do que foi e do que não foi, para abrir espaço para o que pode ser, é o fim e o começo. 

Palavras-chave: Paz e sossego, descanso, tempo sozinho, dê-me espaço, aconchego, não estou disponível para você agora, sensibilidade, sabedoria, criatividade, desapego, renovação. 

Deusas e orixás relacionadas: Kali, Héstia, Nanã, Hécate

Semana 2 – A Donzela e a Primavera

  • Temporada: Primavera
  • Arquétipo: A Deusa, A Donzela
  • Fase pré-ovulatória -folicular
  • Lua crescente

Após o fim da menstruação, entramos na fase pré-ovulatória. Durante essa fase, o hormônio estradiol (um estrogênio) está subindo e os níveis de energia começam a voltar. Podemos nos sentir mais dispostas, extrovertidas, energizadas e ativas fisicamente.

Pense em como você se sente na primavera!

 Conforme a mulher entra em sua fase interna da primavera, ela está pronta para voltar ao mundo no arquétipo da Donzela, com uma energia mais solar e ativa. Como uma predisposição a ação. Este é o momento ideal para dedicar tempo aos nossos projetos, aprendizado e execução. 

Deusas e orixás relacionadas: Ártemis, Atenas, Ewá, Onirá

Palavras-chave: Renascimento, renovação, recomeço, produtivo, focado, independente, aprendendo, forte, capaz de enfrentar desafios, fisicamente energizado, concentração, execução, entusiasmo. 

Semana 3 – o Arquétipo da Mãe e o Verão

  • Temporada: Verão
  • Arquétipo: Mãe
  • Fase de Ovulação – fértil
  • Lua cheia

A fase de verão é quando as coisas começam a esquentar – literal e metaforicamente. Esta é a terceira semana do ciclo menstrual, onde ocorre a ovulação.

Eu amo o paralelo do corpo à terra em O Jardim da Fertilidade: “Como a superfície da terra, uma mulher em idade fértil passa por fases de resfriamento e aquecimento, que por sua vez criam umidificação e secagem, Sua fase fértil é seu próprio verão abafado. Este é um tempo de amadurecimento e de realização – seja a vida ou a criação frutífera de seus esforços. É uma fase altamente produtiva, cheia de energia, impulso criativo e sexualidade . A lua cheia redonda espelha o ovo. É a manifestação da lua escura. Irradiando sua energia para fora e conectando-se com a comunidade está no cerne desta fase. 

Durante a fase fértil, os níveis de estrogênio atingem o pico e a glândula pituitária secreta o hormônio luteinizante, causando a ruptura de um óvulo maduro do folículo e do ovário, resultando na ovulação. Sua temperatura corporal será maior nesse período por isso é a fase do verão interno.

Durante a fase ovulatória, manifestamos o arquétipo da Mãe que confere uma energia de nutrição externa, nos tornando mais disponíveis para os outros e para as nutrir as nossas relações. É uma fase altamente produtiva pois a energia sexual está bem ativa nessa fase solar, conferindo não só mais desejo sexual, libido, mas também tesão por fazer as coisas que são necessárias e socializar. É uma fase de vitalidade, criatividade, comunicação, sexualidade e receptividade.

  • algumas pesquisas sugerem que a ovulação é a melhor hora para pedir o que você quer – seja do seu parceiro, ou pedindo um aumento no trabalho por exemplo.

Deusas e orixás relacionadas: Deméter, Isis, Oxum, Iemanjá, Amaterasu, Afrodite

Palavras-chave: externo, expressivo, sedutora, criativa, lúdico, comunidade, construção de relacionamento, serviço, nutrir, amor, sexualidade, criar, construir, libido.

Algumas características ajudam a identificar o período da ovulação:

  • Leve desconforto ou dor abdominal
  • Fluido cervical: inicia seco e vai se tornando cada vez mais úmido, até parecer água. Quanto mais fluido, mais perto da ovulação você está.
  • Inchaço das mamas.
  • A temperatura aumenta e volta a cair no primeiro dia da próxima menstruação.

Semana 4 – A Sacerdotisa e o Outono

  • Temporada: Outono
  • Arquétipo: Mulher Selvagem / Sacerdotisa / Feiticeira
  • Fase Lútea – Pré-menstrual  
  • Lua minguante – geralmente

O outono é a quarta semana do seu ciclo e é aqui que as coisas começam a desacelerar. É  hora de ir diminuindo o ritmo e se preparando para a menstruação.

Depois da ovulação, o folículo vazio se torna o corpo lúteo, que permanece na superfície do ovário e produz progesterona para revestir o endométrio. A progesterona também faz com que a temperatura se torne mais quente e o fluido cervical seque. Caso a implantação não ocorra, após uma média de 14 dias, no máximo de 16 dias, o corpo lúteo se desintegra e seu revestimento uterino é liberado, desencadeando no período menstrual.

Este é um momento dinâmico que se altera gradualmente à medida que a fase avança. Sua lua interior se afasta do calor do verão interior e se move para a longa expiração do início do outono . Durante essa fase, sua intuição se intensifica e você pode desejar nutrição espiritual, um tempo sozinha, rituais de autocuidado e comunicação autêntica mais do que um toque físico . Preste muita atenção às suas emoções e reconheça-as. Isso diminui a probabilidade de ser expresso pelo corpo como um sintoma. Essa fase pode ser a mais dramática de todas e ter o maior impacto em nossa vida diária.

Muitos profissionais da saúde da mulher afirmam que a TPM é um sintoma de nossos tempos. Embora possamos tentar ignorar as necessidades de nosso corpo, nossa conversa corporal geralmente fica mais alta como resultado e se manifesta como extrema irritabilidade e fadiga, cólicas, entre outros sintomas.

Deusas e orixás relacionadas: Cerridwen, Morgana,  Baba Yaga, Obá, Yansã

Palavras-chave:  energia baixa, hormônios caindo, mais espaço, peça menos de mim, não quero dar agora, temperamental, menos foco e concentração, quero criar, menos coordenado, mentalmente criativo, criatividade ativa e intensificada, assertiva, estratégica. 


Muitas mulheres sentem que não têm nenhuma conexão com a lua. Quando começam a observá-la regularmente, o ciclo pode começar a se sincronizar com a lua. E isso é único, será a sua lua e não necessariamente será igual para todas, a mesma fase da lua, a mesma fase do ciclo. Mas ficará claro pra você a relação.

Essa é a conexão inegável que existe entre o corpo feminino e a lua, que está além da compreensão mental, que é a sabedoria esotérica da experiência feminina por causa de sua capacidade de sangrar.

Nossa conexão com a lua nos desperta para a sacralidade da menstruação e nos lembra que sangrar com a lua, circular com os ritmos da terra, faz parte da experiência de nascer mulher. Este é o rito nascimento milagroso e misteriosa de todas as mulheres. Quando você começa a traçar sua menstruação em relação à lua, você começa uma viagem para dentro de si. Você se dá conta de que seu corpo, como a Terra, está conectado a um padrão universal atemporal que é maravilhado desde o início.

Se você deseja se aprofundar Miranda Gray, no livro Lua Vermelha e Descubra as Deusas dentro de você resgata os ensinamentos sobre os arquétipos femininos durante cada fase.

No artigo Mulheres de lua você pode aprender sobre e baixar a Mandala Lunar Menstrual para rastrear seu ciclo, analisa-lo e compreender mais de si mesma conforme passa por cada fase do ciclo.


Recursos para Mulheres trabalharem o Sagrado Feminino

Você deseja viver plenamente como a mulher apaixonada, espiritual, poderosa, amorosa, criativa e sensual que você sabe que realmente é?

Metafísica e Psicossomática dos Seios: A menina, a mulher e a mãe

Seios são primeiramente meninas transformando-se em mulheres e como elas se relacionam entre si internamente.

Seios são a primeira coisa que apontam a sua feminilidade quando você está passando da fase infantil para adulta.Você deixa de ser criança e de ser olhada com inocência.

Conforme a menina está ficando para trás os seus seios começam a crescer, e embora seja algo íntimo não é privado, não é seu segredo, é algo que é visto, notado, reconhecido… Os seios crescem e mudam a sua imagem para o mundo, a maneira como os outros veem você não será mais a mesma, nem as expectativas sobre seu comportamento, como vai passar a se vestir e deve se comportar diante dos outros.

O desenvolvimento das mamas prepara a todos para verem você como mulher. Isso pode gerar muito desconforto, de repente é errado brincar com garotos como de costume, de repente não pode mais usar suas roupas favoritas porque agora tem algo que chama atenção e deve ser escondido.

Atenção. Esse é um outro detalhe, de repente você nota que ganha atenção com intenção diferente, muitas vezes isso é incomodo, um olhar indesejado… às vezes isso da medo, não apenas em você, mas pode ser um medo que vem dos seus pais, como o de que agora você é um alvo e algum abuso pode acontecer … então a criança pode não querer que eles cresçam e apareçam tanto, ela não quer essa atenção, nem quer se preocupar com esconder o peito ou mudar seu jeito, isso pode ser uma razão para nódulos se formarem conforme seus seios crescem assim como cistos no útero podem emergir desse sentimento “não estou segura como mulher” , a criança tem esse sentimento, ” não quero crescer para a mulher agora”, “não estarei a salvo”. Mas você cresce esquecendo ou ignorando esse sentimento, mas o corpo não esquece nem ignora, a criança interna continua sentindo… continua emburrada com aquilo que a vida impôs sobre ela.

Na fase de transição às vezes há uma luta interna entre a mulher que você está se tornando e a criança que não está pronta para ela. Você pode lembrar de querer crescer e querer que seus seios crescessem e esses sentimentos são reais, mas muitas vezes eles não deram vazão ao medo da criança, eles conflitaram inconscientemente com os desejos e inseguranças da menina. Como esses medos não foram acolhidos, eles se expressam mais tarde em outras formas, através do corpo.

Problemas com a sua feminilidade que são ainda inconscientes podem ser reconhecidos em alguns em sintomas pré menstruais, porque você não gosta do ciclo, reclama e sente dor, perceba que outras partes do seu corpo doem, e do que você reclama quando poderia honrar seu ciclo e fluir com a maneira como ele funciona. Se condena seu período… tem sim problemas com ser mulher. Você não pode amar ser mulher e odiar seu útero, odiar ficar menstruada. Não porque você” tem que” nada, mas observe que isso acontece todo mês e se essa for a sua atitude interna, o que você está fazendo com seu corpo? Que informação emocional está imprimindo nele todo mês continuamente? Ódio de ser quem é, do corpo que tem, do que essa característica representa na vida…No subconsciente arquetípico, o útero representa muitas coisas além da maternidade, como gestar, criar, dar vida à ideias, projetos e sonhos. Enquanto seios são resumidamente a nutrição daquilo que você deu vida.

Ser mulher é ser cíclica e ser de lua. Abraçar isso é viver em plenitude com o sagrado feminino que é você.

Se você não o faz, seu corpo reclama a atenção. Pede pelo seu olhar. Há muitas outras coisas que desequilibra a saúde dos seus seios, mágoas, ressentimento, raiva, desequilíbrio em dar e receber, sentimento de desamparo,abandono. No entanto a maioria deles começa na não aceitação total de si mesma e do que isso manifesta na sua vida. Seios são a nutrição da vida e sua relação com ela e consigo mesma. Sua vida tem certas oportunidades e certos limites, certos presentes e certos desafios , alguns unicamente, justamente por você ser mulher.

Seios nutrem aquilo que criamos, estão ligados a nossa capacidade de dar e receber livremente

Se o útero está ligado a capacidade criativa o seios está ligado a capacidade de nutrir seus sonhos de dar continuidade as suas criações, de nutrir a própria vida. Como mulheres somos todas mães ainda que não tenhamos filhos, somos mães dos nossos projetos e sonhos.

Seios estão ligados a sua função física que é nutrir. No nível físico, os seios se desenvolvem em preparação para alimentar nossos filhos, mas há também uma realidade espiritual por trás dessa conexão feminina com o sustento. Esta qualidade espiritual é a qualidade aberta e generosa do coração responsivo, a capacidade de nutrir, cuidar, dar e presentear .

Se simbolicamente seios nutrem aquilo que criamos, não estão ligados somente aos filhos mas a tudo na vida. O quanto você tem nutrido a sua vida ? Ou o que você tem nutrido ? Que tipo de pensamentos e sentimentos?

Nutrir começa consigo mesmo, o quanto você tem se nutrido ou se sente nutrido e Satisfeito ? Quando bebê você mama até se sentir satisfeito. Você se sente satisfeito com seu trabalho? Sua família ? Consigo mesmo?

Você nutre a si mesmo com alimento pro corpo, pra mente e pra alma ? Você se da tempo para relaxar e para se cuidar ? Ou faz pelos outros primeiro ?

Há uma crença de que devemos dar para receber e até certo ponto ela está certa mas o dar começa em si mesmo. Do contrário você está em desequilíbrio, seu pensamento e habito sobre dar e receber está distorcido e da-se para receber em expectativa de algo. A pessoa quer se nutrir, então da para o outro na expectativa de receber de volta, de ser nutrido pelo outro. Isso é tão distorcido !

Christian Northrup, MD, um visionário do bem-estar mente-corpo e co-fundador de um Centro de Saúde para Mulheres e Mulheres, escreveu:

A disfunção energética surge frequentemente quando uma mulher está confusa sobre como usar tanto o seu amor (quarto chakra) quanto o seu poder criativo (segundo chakra). O maior conflito dentro das mulheres é que a maioria de nós ainda acredita que para ser amado, para receber amor e garantir que alguém precisará de nós, devemos cuidar das necessidades físicas externas dos entes queridos.

Primeiro você se nutri, da a si mesmo tempo consigo, amor, carinho, presentes, cuidado, então satisfeito você compartilha. Se você da satisfeito, você da sem expectativas, sem obrigação, sem esperar receber de volta e por isso mesmo recebe de volta da vida, ainda que nem sempre da mesma pessoa.

Se você sabe se dar, se nutrir, quando você recebe um presente não se sente desconfortável porque não tem nada para a outra pessoa, não se sente obrigado a dar algo mais tarde, isso não perturba você, não te envergonha. Recebe de bom grado se sente grato e feliz. Agora se o seu dar e receber está deturpado, sente vergonha por não ter algo para dar, sente obrigado a comprar algo mais tarde para dar e restabelecer o equilíbrio com essa pessoa, você se sente em dívida porque no seu interior acredita que o outro deu esperando receber, mas só pensa assim quem faz o mesmo. Então nem mesmo um elogio é recebido de graça.

Seus seios doem ou adoeceram ? Esse é um ponto na sua vida a observar, hábitos que ainda podem ser mudados se você reconhecer o padrão. Seu corpo fala para você aquilo que você precisa mudar. Aquilo que está em desequilíbrio na sua vida, no seu coração ou mente mas que você está envolvido de mais, cego de mais, perto de mais para perceber sozinho.

De a si mesmo o que gostaria de receber dos outros e aos poucos as expectativas cessarão, e não haverá frustração quando alguém não notar seu corte de cabelo novo ou seu desempenho no trabalho, porque você estará satisfeito consigo mesmo. Porque você se deu o elogio, você se realizou com o trabalho que fez e isso é o bastante. Então no próximo ciclo você notará que dificilmente essas coisas passaram despercebidas e os elogios vêm, e aparecem as promoções ou outras propostas de trabalho, o reconhecimento do outro chega porque você parou de correr atrás dele. Quando você se nota, se da reconhecimento, amor, carinho, amparo, você começa a se alinhar com mais disso, a sintonizar essa frequência vibracionalmente e então tudo a sua volta vai ressoar de acordo.

Seios estão ligados ao chakra do coração que é o centro do que você espera, amor e compaixão. É o que liga você a outras pessoas e a quem você ama. É o seu centro de self e a ligação entre o físico e o espiritual. Assim ele se relaciona com aquilo que nutrimos em nossas relações, que sentimentos nutrimos em relação aos outros ? Como nos relacionamos com nós mesmos? Que sentimentos nutrimos mas calamos ? Que medos silenciamos em nosso peito ?

Quando emocionalmente mantemos nosso coração fechado ao construir uma parede, isso impede que nossos sentimentos sejam expressos, o que levará a um chacra cardíaco bloqueado. Que Superproteção colocamos em nossos corações? Manifestamos isso na necessidade de controle e microgerenciamento de nós e dos outros. Preocupação e ansiedade tornam-se companhias constantes quando somos seres controladores por extinto de autoproteção. A possessividade e necessidade de controle tem por trás a profunda insegurança e medo do abandono ou da perda. Não é a toa que a nova medicina germânica diz que o câncer de mama é em sua maioria relacionado com um trauma de separação.

Em uma análise enérgica de pacientes com câncer de mama, a médica intuitiva, Caroline Myss escreveu:

“Para algumas mulheres, o câncer se desenvolve em resposta a uma incapacidade de nutrir, o que resulta em sentimentos de culpa e auto-ódio. Outros experimentam crises de medo e identidade como resultado de não aceitar o fechamento natural do ciclo da maternidade quando as crianças saem de casa. “

A área dos seios e do peito reflete o ‘eu para o eu’. É nossa área privada e pessoal e simboliza nosso senso de auto-identidade. Observe como, ao falar, você toca o peito para indicar-se ou ao falar sobre seus sentimentos ou opiniões. Nós temos que amar e nos aceitar antes que possamos realmente amar os outros. Se estamos pautados em nós mesmos ainda que venhamos a perder alguém ou algo ao qual somos profundamente ligados temos mais força para lidar com o trauma, a vida não interrompe o fluxo com a separação, ela continua fluindo conforme lidamos com a dor e nos nutrimos de amor e todas as coisas necessárias para nos confortar e reerguer.

Cristina Cairo escreveu

Em japonês, a palavra titi significa: seios, pai, marido, leite materno. Quando uma mulher nutre em seu coração sentimentos de revolta contra o pai ou marido, seus seios passam a ter problemas. Nódulos, mastite ou tumores nos seios significam descontentamento ou ressentimento profundo em relação às pessoas que desempenha o papel simbólico de pai, tais como marido, sogros, cunhados, etc.

Acredito que essa revolta pode ser também direcionada a mãe ou outras mulheres levando em consideração a lateralidade do corpo. Tem haver com ter peito para ação ou peitar o outro. Quando alguém parte pra briga estufa o peito. Quantas vezes você ouviu uma ofensa, à raiva subiu pelas veias até o peito e você fechou os punhos mas se encolheu? Talvez você não pudesse peitar o outro porque sairia perdendo, talvez fosse um de seus pais ou responsáveis, talvez não agir fosse o melhor a fazer. Mas pra onde foi a ofensa, raiva e agressividade? Se você não deu vazão a ela mais tarde através de alguma atividade, ou gritando e socando o travesseiro, ela não explodiu mas foi implodida e talvez a implosão tenha se tornado um hábito que vai acumular toxidade até seu corpo finalmente mostrar os sinais. Pessoas aparentemente pacíficas adoecem aos montes por carregarem muita agressividade. Não comprar briga por não tomar a ofensa é uma coisa, aqui você encontrou a paz e não se importa. Se sentir ofendido, com raiva e calar é outra coisa, ainda que seja uma atitude pacífica você está levando a guerra consigo. Você implode e isso não é ser pacifico consigo mesmo. Então consciente disso você pode continuar fazendo a escolha pacífica com o outro quando convir a ambos e evitar conflitos mas deve reconhecer seus sentimentos sobre a experiência e dar vazão a eles de alguma forma. Mais tarde você pode voltar àquela pessoa e expressar seus pontos de vista e dizer como você se sentiu a respeito do que ouviu ou da situação de forma ponderada, sem ira ou intenção de vingar-se, ferir ou ofender porque já liberou isso. Mas é importante para saúde se expressar e impor limites saudáveis. Aquilo que você não fala, você ressente.

Os seios representam o princípio materno. Quando há problemas com os seios, isso geralmente significa que estamos ” cuidando demais “, seja uma pessoa, um lugar ou uma coisa, ou uma experiência … Se o câncer está envolvido, então é também profundo ressentimento “. – Louise L. Hay

Como seios estão ligados a maternidade é preciso respeitar a mãe em nós ainda que desempenhar esse papel na vida não faça parte das nossas escolhas. Atualmente o feminismo está em alta e ser mãe não é prioridade ou regra, embora o feminismo tenha muitas pautas e deve ser celebrado, é preciso entender que para ser feminista não é necessário abrir mão da feminilidade. A mulher tem qualidades intrínsecas que são ligadas à maternidade, a ciclicidade e ao feminino. Somos sensíveis sim e isso é um dom não uma fraqueza, usamos nossa sensibilidade para tocar outros, somos maternais e ainda sim temos o direito de escolher não sermos mães, mas nos sentimos compelidas a cuidar dos outros, então usamos essa qualidade com quem amamos ou no trabalho que amamos, damos vida a sonhos, os nutrimos e os fazemos crescer.

Eu te desejo paz sobre todas as coisas.

A serviço e da luz e da lucidez

@Interconexão

Se você acha isso útil, compartilhe com outras pessoas !


Livros sobre esse assunto:

A Região Lombar é a Base e a Raiz de Nossa Atividade no Mundo

“A região lombar é a base e a raiz de nossa atividade no mundo. Quando sentimos uma perda de apoio ou sentimos que os desafios ou responsabilidades são muito grandes, simplesmente “não suportamos”. Fúria, frustração, humilhação ou depressão podem ocorrer na região lombar, que é neurológica e psicologicamente associada à nossa Sentimentos “viscerais” e instintos mais profundos e suprimidos. A parte inferior das costas tem mais peso e expressa a extensão da carga ou peso que suportamos, ou se nos sentimos oprimidos ou sem esperança.

A capacidade de adaptar-se, resistir ou enfrentar o estresse ou os ataques percebidos é expressa nas costas; por exemplo, ser covarde, ter as costas contra a parede, fazer com que as costas voltem para cima, oh minha dor nas costas. ”~ Asa Hershoff ND, DC

O intestino é um dos principais sistemas de filtragem do corpo, quando seu sistema de encanamento, eletricidade e drenagem não está funcionando corretamente, o corpo começa a absorver toxinas, entupindo o sistema. Quando o intestino não pode mais nos proteger, problemas auto-imunes podem ser desencadeados por uma rede de comunicações celulares e através de nossos gânglios linfáticos. Prisão de ventre, diarréia, inchaço, pouca mobilidade e gases aprisionados podem levar à obesidade, colesterol alto, diverticulite, problemas pancreáticos e muito mais. Acúmulos tóxicos são armazenados nas células adiposas do corpo… se essas toxinas vazam para os fluidos do corpo, que incluem o sangue, elas podem causar fadiga, dores no corpo, tireóide, problemas cardíacos e cerebrais, bem como depressão.

A maioria das dores nas costas é 10 vezes mais dolorosa do que qualquer outra tensão muscular no corpo. A razão para isso … os músculos das costas são projetados para “proteger” e “defender” a coluna vertebral. Além disso, os músculos das costas estão intimamente ligados ao Sistema Nervoso Central (SNC), que transmite mensagens de dor ao cérebro – a dor muscular é um aviso precoce de que a coluna pode estar com problemas. Quando estamos tensos, os músculos das costas podem entrar em espasmo, causando uma dor excruciante que pode durar semanas, meses e até anos.

A coluna é geralmente flexível e bastante resistente e quando alinhada corretamente é capaz de aprender e integrar uma variedade de experiências de vida. Essas experiências estressantes ou extáticas são capazes de fluir facilmente através da consciência do corpo / mente, desde que não haja interrupção, o que poderia desequilibrar a (s) vértebra (s). Mas quando experimentamos um evento estressante ou traumático / chocante, o absorvente de choque da coluna se torna inflexível devido ao choque, fazendo com que os músculos, ligamentos e tendões de suas costas e abdômen trabalhem mais para mantê-lo na posição vertical.

“Parece que a maioria dos casos de dor lombar crônica é causada não por problemas na coluna, mas por tensão e espasmos musculares. Isso não deve ser descartado: é extremamente doloroso. Essa tensão muscular é causada por tensão emocional, e quanto mais profunda a tensão emocional é explorada, mais a história por trás da dor é revelada. Pode ser uma história de raiva, medo, exaustão, de tentar provar algo a alguém, de negação, de falta de perdão – seja lá o que for, é nas costas porque está bem escondido lá. Mas também dói. ”Seu corpo fala sua mente: Entendendo como suas emoções e pensamentos ~ Deb Shapiro

A parte de trás do corpo reflete elementos privados e inconscientes de sua vida. A parte de trás se torna o armazém para tudo que você não quer lidar ou não quer que outras pessoas vejam. Sentimentos ocultos ou não expressos ficam congelados na estrutura do seu corpo. Isso significa que muitas emoções negativas ficam armazenadas ao longo de sua coluna e nas costas de suas pernas. A maioria de suas emoções poderosas, como raiva e medo, estão armazenadas nas costas e são essas emoções que desequilibram seu corpo.

Tentar distanciar e suprimir seus sentimentos apenas agrava o problema … enquanto você continua a carregar o passado, que continua a crescer mais e mais. Se você está se protegendo todos esses anos e se defendendo de perigos reais ou imaginários, você está vivendo em um estado constante de alerta. Além disso, você aprendeu a tomar medidas de proteção para se sentir seguro … Isso é conhecido por criar uma instabilidade da parte inferior das costas, quadris e até os pés. A pélvis representa nossa direção interna e nossos sentimentos e pensamentos mais profundos … é sobre nosso movimento pessoal. Nosso primeiro chakra (raiz) basicamente nos conecta com a Terra, assim como com nossos instintos de sobrevivência. O aperto excessivo nos quadris e nas nádegas pode refletir a necessidade de uma pessoa se “segurar” para sobreviver.

Sacro – Sentir-se sem apoio, levando problemas familiares não resolvidos, mantendo a raiva e o ressentimento da infância. Vivenciando uma falta de confiança e crença em si mesmo. Sentindo-se desconfortável em seu corpo e em sua vida. Leve o ressentimento e a vergonha da guilda. Físico: ossos do quadril, nádegas, condições sacroilíacas, curvaturas da coluna vertebral. ”A LÍNGUA SECRETA DO SEU CORPO ~ Inna Segel

“Apesar de aparentemente suaves e esponjosos, os músculos glúteos ou das nádegas costumam ser os músculos mais tensos e tensos do corpo, pois é aqui que você pode esconder qualquer tensão ou nervosismo que possa estar sentindo ao sentar-se nele. Embora essa tensão esteja oculta, seu efeito será sentido em todo o corpo. Gluteais consistentemente apertados irão desequilibrar sua postura, causando distorção da coluna vertebral e dores nas costas, e então eles podem afetar o funcionamento de seus intestinos….

Apenas por um momento, agora mesmo, verifique seus músculos em suas nádegas. Eles estão relaxados? Ou eles estão cerrados? Se sim, relaxe conscientemente e note a diferença em sua atitude.

  • O que você está sentado, reprimindo ou segurando?
  • Que energia está sendo mantida em seu traseiro?
  • Você está sentado em sentimentos de insegurança?
  • Você está sentado em uma necessidade de apoio e conforto?

SEU CORPO FALA SUA MENTE ~ por Deb Shapiro

O SEGUNDO CHACRA (SACRAL)

“Sensações e sentimentos contribuem para as emoções, outro aspecto do segundo chakra. Emoção – do latim e, significando e movere, para mover – é a movimentação do prana através dos tecidos do corpo. As emoções são o resultado de sentimentos armazenados no corpo. Por exemplo, você pode ter uma sensação de irritação com alguma coisa, mas se esse sentimento é repetidamente armazenado em seus tecidos, pode se tornar a emoção da raiva. Eu gosto de pensar em sensações como as palavras, sentimentos como as sentenças e emoções como a história que emerge.

Quando você reprime a emoção, você restringe os movimentos naturais do corpo. Você se torna rígido, criando o oposto do fluxo aquoso do segundo chakra, inibindo a flexibilidade. Portanto, desenvolver flexibilidade em seu corpo pode exigir disposição para sentir velhas emoções armazenadas em seu corpo. Anodea Judith Chakra Yoga ~ por Anodea Judith

A região lombar está associada ao 2º chakra, que está associado aos quadris, sacro, região lombar, genitais, ventre, bexiga e rins. Este chakra é sobre sensualidade, sexualidade, emoções, intimidade e desejo. Todas as coisas aquosas têm a ver com este chakra: circulação, micção, menstruação, orgasmo, lágrimas. Fluxos de água, movimentos e mudanças e um segundo chakra saudável nos permitem fazê-lo. É também este chakra onde, quando criança, fomos apoiados e tranquilizados por nossos pais.

Sua natureza agressiva pode ter lhe causado alguns momentos de ansiedade enquanto você estava crescendo, quando teve que se limitar aos limites impostos por seus pais. Eles podem ter considerado você grande demais para suas calças, ou simplesmente imprudente e imaturo. Sua necessidade de demonstrar sua independência pode aliená-lo deles. Seu desenvolvimento subseqüente fez você perceber que você tinha que agir quando sentiu que era apropriado, sabendo que “aquele que hesita está perdido”. Mesmo agora, você não é facilmente dissuadido por pessoas que dizem que seus planos não funcionam, e você sempre consegue provar que estão errados.

Se não tivéssemos o apoio que precisávamos quando criança, isso pode afetar as áreas da parte inferior das costas e dos joelhos. Veja o meridiano dos rins ao longo da parte de trás do joelho, assim como a bexiga, o fígado e o baço. A inflamação é causada por um acúmulo de fluido … a área da pele é muito sensível para ser tocada. Quando uma grande quantidade de energia do 2º chakra é liberada através do exercício, ela pode nos tornar sensíveis às energias no ambiente e também de outras pessoas. Também pode nos fazer sentir jovens, felizes e brilhantes!

Quando o segundo chakra é equilibrado e saudável, podemos ser emocionalmente fluidos, permitindo-nos sentir livremente e sem culpa. Quando é excessivo, somos excessivamente emocionais, temos limites fracos entre nós e os outros e somos propensos a ligações obsessivas. Quando o segundo chakra é deficiente, tendemos à dormência emocional, rigidez e medo do prazer.

Músculos PSOAS (principais contribuintes para dor lombar)

Enterrado profundamente dentro do núcleo do seu corpo, o psoas afeta todas as facetas da sua vida, do seu bem-estar físico para quem você se sente e como se relaciona com o mundo. Atuando como uma ponte entre o tronco e as pernas, o psoas é fundamental para manter a coluna alinhada, permitindo que as articulações girem livremente e dando aos músculos uma amplitude completa de movimento. O músculo abdominal está rodeado por uma complexa rede de gânglios nervosos que se encontra aproximadamente ao nível do psoas e do diafragma. Se o psoas for contraído por qualquer motivo, ele pressionará os nervos na região abdominal. A constrição do diafragma pode encurtar o psoas e o aperto no psoas pode restringir a capacidade do diafragma de se mover livremente. Qualquer constrição no diafragma impedirá a respiração do corpo inteiro, um processo que massageia os órgãos internos e promove força e vitalidade.

Se você sofre de uma dor nas costas ou ansiedade, de tensão no joelho ou exaustão, há uma boa chance de que um músculo psoas restrito possa estar contribuindo para o seu problema. Quando os músculos do psoas entram em espasmo, eles puxam o ombro para baixo e criam um desequilíbrio físico real … você pode sentir-se inclinado mais para um lado. Metafisicamente, os músculos do psoas podem indicar traumas complexos e problemas inconscientes não resolvidos desde a infância. Pessoas com músculos psoas cronicamente tensos cortaram completamente suas sensações mais profundas, exercendo rígido controle sobre si mesmas como uma maneira de se defender contra essas emoções cruas. E, no entanto, há sempre a sensação de algum perigo iminente. Para algumas pessoas, toda a sua vida é construída em torno de suprimir o que está lá embaixo e, a esse respeito, elas são dominadas por aquelas mesmas coisas que estão tentando manter à distância. Encontrar o self é como Descascar uma cebola – camada após camada precisa ser removida para alcançar o núcleo. Isso é semelhante ao mergulhador de águas profundas que mergulha nas profundezas do inconsciente pessoal, trazendo à luz complexos ocultos para que possam ser examinados, trabalhados e esperançosamente transmutados.

Como a esfera doméstica é onde a maioria das pessoas se sente mais vulnerável, elas podem tentar manipular e controlar as pessoas ao seu redor, de modo que ninguém escorregue e detone sua bomba-relógio interna. Obviamente, isso não se presta ao ambiente mais relaxado dos lares, no qual provavelmente existem muitas regras não escritas sobre o que é ou não permitido ser dito ou feito.

“Os rins estão realmente situados atrás do psoas, enquanto os intestinos e os órgãos reprodutivos ficam em frente a ele. Quando o psoas está apertado e contraído, a curva lombar se torna exagerada, fazendo com que os órgãos abdominais caiam para a frente contra os músculos abdominais, que não foram projetados para suportar esse peso. … Quando deslocados, os intestinos são incapazes de absorver nutrientes, eliminar resíduos, e as funções sexuais reprodutivas podem ser prejudicadas. O problema também é que, não importa quantos sit-ups você faça, eles não serão capazes de suportar o psoas restrito empurrando a cavidade abdominal para frente. ”Yoga Journal ~ Por Donna Farhi

Curar o psoas pode ajudar a melhorar sua estrutura geral e trazer à luz velhos traumas e medos (tensão física) trancados no corpo. Em relação à resposta de luta ou fuga, o psoas é conhecido por enrolar você em uma bola fetal para proteger a frente do corpo, ou preparar os músculos das costas e das pernas para entrar em ação. Como o psoas está tão intimamente envolvido em reações físicas e emocionais, um psoas cronicamente endurecido sinaliza continuamente ao corpo que você está em perigo, eventualmente esgotando as glândulas supra-renais e esgotando o sistema imunológico.

Uma de cada lado da espinha, cada um funcionando ainda independentemente harmoniosamente, psoas atribui para o lado e para a frente do 12 vértebras torácicas e cada vértebras lombares. Movendo-se pela pelve sem se prender ao osso, o psoas se insere junto com o músculo ilíaco em um tendão comum no topo do fêmur.

A principal função do psoas é atuar como um flexor do quadril … sem caminhar ou correr seria impossível. Esses músculos também contribuem para a rotação externa dos quadris. Quando o psoas está tão apertado, eles não podem se soltar, fazendo com que as pernas se movam para fora durante uma flexão de costas intensa, que pode apertar os músculos e nervos da parte inferior das costas.

A aorta maior que transporta o sangue do coração corre muito perto dos músculos do psoas e pensa-se que um desequilíbrio no psoas pode afetar a circulação sanguínea em todas as extremidades superiores e inferiores. Muitas pessoas sentem uma onda de calor nas pernas e no peito quando o psoas se solta. Assim, os músculos profundos do psoas podem afetar a circulação, a respiração, os impulsos nervosos e a função dos órgãos. E ainda não consideramos o efeito do psoas no sistema musculoesquelético.

Além disso, o psoas também forma uma prateleira de suporte para os órgãos vitais dentro do núcleo abdominal. Na caminhada, um psoas saudável se move livremente e se junta a um diafragma liberado para massagear continuamente a coluna, bem como os órgãos, vasos sanguíneos e nervos do tronco. Trabalhando como uma bomba hidráulica, um psoas que se movimenta livremente estimula o fluxo de fluidos por todo o corpo. E um psoas liberado e fluente combinado com uma pélvis estável com peso, contribui para as sensações de sentir-se ancorado e centrado.

interconexão

Se você acha isso útil, compartilhe com outras pessoas !

Livros sobre esse assunto:


METAFÍSICA: SISTEMA NERVOSO CENTRAL

Alguma vez você já se perguntou com a incrível capacidade do corpo de se renovar, por que temos, ou parece ter os mesmos problemas nas costas durante a maior parte de nossas vidas? A resposta está no sistema nervoso central (SNC). O CNS coordena nossa consciência com bilhões de neurônios (células nervosas individuais) que são enviados para o cérebro para serem interpretados. As mensagens são enviadas de volta para mover as inúmeras fibras musculares através do corpo. É por isso que a maior parte da nossa dor nas costas começa com problemas nos músculos, porque eles estão diretamente ligados aos nervos que transmitem mensagens de dor ao seu cérebro. Muitos problemas nas costas são agravados pelo estresse ou tensão na mente.

O SNC consiste no cérebro e na medula espinhal. O cérebro realiza a maior parte da “computação” no sistema nervoso e se comunica com o resto do corpo através do grande feixe de nervos chamado medula espinhal. O sistema nervoso periférico (SNP) é a intrincada rede de nervos que transporta informações entre o SNC e o resto do corpo. Trinta e um pares de nervos espinhais transmitem mensagens sensoriais e motoras de e para a medula espinhal. Juntos, esses nervos mantêm todo o seu corpo em comunicação com o cérebro.

“O sistema nervoso mantém o ambiente interno do nosso corpo e regula a digestão dos alimentos e a quantidade de dióxido de carbono no sangue sem a nossa consciência… ..

Ao agir como um canal para a expressão da Consciência Universal (nossa sabedoria inata), o sistema nervoso estabelece quem somos e como lidamos com o mundo. O que nosso corpo sente – não necessariamente o que estamos conscientes – realmente muda a maneira como percebemos o mundo. Se o sistema nervoso estiver preso em uma perspectiva, as mensagens que ele enviará e receberá também ficarão presas nessa perspectiva. Em outras palavras, quando o sistema nervoso não foi capaz de se recuperar do trauma de eventos passados – seja físico, emocional ou químico – nossa realidade emocional também está presa … O efeito combinado de vários estresses e a incapacidade do sistema nervoso sistema para lidar com eles produz uma subluxação (interferência) da coluna vertebral… .Esta interferência interrompe a capacidade natural do sistema nervoso de montar e separar instruções neurológicas. Como um computador, se a entrada (mensagens para o sistema) estiver distorcida de qualquer maneira, a saída (mensagens do sistema nervoso para cada célula do corpo) também será distorcida. Trauma emocional, acidentes ou respirar ar poluído são desafios para o sistema nervoso comprometido. ” Os 12 estágios da cura – por Donald M. Epstein DC

Existe uma conexão profunda e poderosa entre a mente e as costas – para começar a entender a causa de sua dor nas costas, comece o processo de cura. Quanto mais rígida, firme e inflexível for a mente, mais rígido, rígido e inflexível será o corpo físico (ombros, pescoço, peito, abdômen, isquiotibiais, psoas, tornozelos, etc.).

EXERCÍCIOS DE LIBERTAÇÃO DE TRAUMA (TRE)

Exercícios de Liberação de Trauma (TRE) “TRE® é um conjunto simples e rápido de movimentos que ativam o processo natural de reequilíbrio do nosso corpo – proporcionando uma experiência imediata de relaxamento. Ao liberar tudo, do estresse diário à tensão física e ao trauma, o TRE® nos libera para enfrentar os desafios da vida com maior habilidade e facilidade. Melhor de tudo, nossos corpos fazem o trabalho; obtemos alívio sem precisar processar ou recontar nossa história. ”  Exercícios de liberação de tensão

Originalmente projetado para transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) … especificamente para os soldados que haviam retornado da guerra. “Ele leva você através de uma série de movimentos. Então você acaba em uma posição que libera o psoas, que é descrito como sendo um músculo que mantém a emoção (daí os exercícios de liberação do trauma para atingi-lo).”

TRE alivia o acúmulo de tensão muscular todos os dias, bem como traumas passados 

TÉCNICA DE LIBERDADE EMOCIONAL (EFT)

Técnicas de Liberdade Emocional – EFT – também conhecido como Meridian Tapping – é um método de cura muito eficaz, que é conhecido por eliminar traumas e abusos, ansiedade, medos e fobias, emoções e crenças negativas, auto-julgamento, dor física e emocional, maus hábitos, enxaquecas e muitas vezes ajuda a curar lesões físicas e doenças.

EFT – Psicologia Energética e liberdade emocional

“Os músculos absorvem e respondem às tensões e sentimentos. Se eles não relaxarem suficientemente após o estresse, a tensão se acumulará e causará danos mais profundos e duradouros. Se isso continuar por um período de tempo, os músculos serão ajustados e fixados nessa forma restrita. É aqui que você “segura” questões, emoções e traumas. Raiva congelada, medo ou pesar criam uma espécie de armadura corporal que bloqueia e retém ainda mais sentimentos, prendendo a musculatura em posições fixas …

Os músculos permitem que todos os sistemas corporais funcionem, como circulação, digestão, respiração e impulsos nervosos. Sua liberdade de movimento é essencial para uma ótima saúde. Quando os músculos estão restritos… sua energia será incapaz de fluir suavemente… Liberação de estresse e expressão emocional são, portanto, essenciais para a facilidade muscular. O exercício também é vital – não apenas libera a tensão muscular, mas também a tensão psico-emocional. ”SEU CORPO FALA SUA MENTE ~ Deb Shapiro


Interconexão

Se você acha isso útil, compartilhe com outras pessoas !


Livros recomendados sobre este assunto:


Existem outros artigos relevantes para esse assunto:

Permitam que esta verdade se estabeleça em seu coração

Seu crescimento é o seu serviço.

Não há nada mais impactante que você possa fazer do que continuar sua própria expansão e iluminação, pois isso serve a você e ao todo de forma tão bela. É assim que você é a mudança, como anda sua conversa, como você é o lindo professor pelo exemplo, como você personifica a luz, como você é o corajoso e glorioso pioneiro do novo. Você está conduzindo a mudança com cada descoberta que você faz, cada lançamento, toda integração, todo ato de amor. Nunca subestime o trabalho incrível que você está fazendo, pois você está no centro disso tudo.

Arcanjo Gabriel através de Shelley Young

A Metafísica da Dor no ombro e parte superior das costas: Seu coração está aberto?

A fraqueza na parte da frente dos ombros pode causar músculos tensos ou tensões nas costas.

Dor ou tensão na região do ombro geralmente refletem o estado emocional e físico geral da pessoa. Um estilo de vida estressante, tensão emocional, lesões físicas e fadiga podem contribuir para constrição e dor nos ombros. Quando experimentamos as ações e comportamentos das pessoas em relação a nós como agressivos ou controladores, isso nos faz sentir impotentes, irritados, ressentidos ou fora de controle. Se as emoções negativas não forem liberadas, elas podem se tornar tóxicas para todo o sistema, levando a todo tipo de complicações.

“A rigidez na área das omoplatas geralmente revela que você está indo na direção errada na vida, ou está fazendo algo na vida que não está servindo ao seu propósito mais alto. Isso é realmente uma dor positiva e preditiva, mostrando que você precisa fazer um ajuste na direção de sua vida ou que uma mudança importante está prestes a acontecer em sua vida e você terá que se ajustar para se alinhar a essa nova mudança ou direção. Isso pode envolver o abandono de algumas formas antigas de pensar e se comportar e se adaptar às formas mais novas e mais elevadas de pensar e se comportar. A mudança ocorrerá quando você se tornar alinhado, ponto em que a energia entre os meridianos do baço e do intestino delgado fluirá livremente, removendo o bloqueio entre os dois. É o bloqueio de energia entre os dois meridianos, encontrado na área das omoplatas, que causa a sensação de resistência e falta de mobilidade. ”Emoção e Cura no Corpo Energético ~ Robert Henderson

A dor no ombro é uma dor complexa e multifacetada, pois há seis meridianos se movendo nesta área. Os seis meridianos são: pulmão, intestino grosso, pericárdio, triplo aquecedor, intestino delgado e meridiano do coração. Esses seis tipos diferentes contêm uma mistura de energias emocionais, mentais e comportamentais, que se manifestam como diferentes tipos de dor física. Essas energias causam rigidez e uma sensação de peso e estagnação nos músculos ao redor das linhas desses meridianos. Essa energia estagnada é como uma parede que protege os sentimentos prejudiciais, mas também pode nos forçar ao isolamento e à separação. A separação da vida causa depressão, raiva e a incapacidade de perdoar um passado doloroso – isso pode causar rigidez e rigidez no manguito rotador e nos músculos ao redor.

(* Os meridianos são caminhos ou redes em que circula o Chi e o sangue do corpo humano, nutrindo pele, músculos, tendões e ossos. Os meridianos pertencem aos órgãos internos do corpo, formando uma rede de treliça e ligando os tecidos e Externamente os doze meridianos se conectam com a pele, articulações, membros e outros tecidos superficiais do corpo.O funcionamento normal dos vários órgãos garante que uma forma de equilíbrio possa ser mantida.)

Quando nos sentimos prejudicados pelo modo como estamos vivendo, muitas vezes subestimamos nossa capacidade de lidar com tantas responsabilidades; nós nos sobrecarregamos. Isso resulta em ansiedade, estresse e cansaço, prejudicando nossa parte superior das costas e ombros.

A dor no ombro também pode ser causada pelo fato de estarmos muito atarefados, rebelando-nos contra a mudança e resistindo a novas possibilidades e perspectivas. Quando resistimos, tensionamos a parte superior do corpo como um meio de tentar manter o controle. Querer controlar as coisas, pessoas e eventos, muitas vezes resulta em tensão crônica das mãos, braços e ombros. Além disso, a autofonia negativa e a reprovação causam tensão no corpo, especialmente nos ombros, trapézio, laterais do pescoço, abaixo da caixa torácica e do plexo solar.

A rigidez nos ombros também pode significar que somos incapazes de ver nossas opções claramente, estamos frustrados por nossas limitações pessoais e atormentados pela indecisão ou por tomar a decisão errada. Isso cria uma tremenda sensação de rigidez e pressão e o desejo de escapar da decisão.

Dor na borda inferior da escápula é causada por assumir, mas não liberar as aflições dos outros. Nos relacionamentos, é a dor de se entregar a alguém que não ama nem se importa com você. Pode simbolizar a tristeza emocional de viver uma vida que não deveria ter acontecido como aconteceu. Você se assusta com os problemas e adora reclamar como os outros estão dificultando sua vida, mas raramente assume responsabilidade pessoal ou faz qualquer coisa para mudá-la. Em um nível espiritual, há uma tendência a ignorar os chamados de seu próprio espírito devido à falta de confiança.

Com o ombro congelado, você pode literalmente se sentir congelado e preso em suas circunstâncias atuais. Isso pode fazer você se sentir desamparado e sem poder, especialmente com figuras de autoridade.

“É hora de estabelecer suas limitações e necessidades pessoais e assumir seus ombros apenas o que corresponde ao que você quer para si mesmo. Cuide-se como se você fosse alguém com quem você se importa. Entenda que você sozinho coloca pressão sobre si mesmo; outros respeitarão suas necessidades quando você aprender a respeitá-las. Permita-se ser flexível, abraçar alguém ou qualquer coisa que você queira e deixar sua crença para o coração. As conseqüências serão duras. ”SEU CORPO ESTÁ lhe dizendo: AME-SE ~ Lise Bourbeau

DOR NA PARTE SUPERIOR BRAÇO

Seu braço é composto do úmero, um osso grosso cercado por densas camadas de músculo que permitem erguer objetos pesados. Seu antebraço é composto de raio e ulna. As mãos e os braços são caminhos para muitos nervos e canais meridianos.

Em geral, os braços superiores, juntamente com os cotovelos, antebraços, punhos e mãos, são extensões energéticas do coração. Sua condição é espelhada na condição do coração. Se o coração estiver fraco ou fechado, eles estarão fracos ou fechados. Da mesma forma, a condição da energia nos braços reflete-se no coração. Assim, se há bloqueios de energia nos braços, cotovelos, antebraços, punhos e mãos, o coração também fica bloqueado. Para que o coração esteja livre, os braços, cotovelos, antebraços, punhos e mãos precisam estar livres. Dor na parte superior dos braços, cotovelos, antebraços, punhos e mãos revelam um bloqueio na energia que flui do coração. Esta é a raiz de toda dor no braço. A dor no braço indica que seu coração está com dor. ”Emoção e cura no corpo energético ~ Robert Henders

Quatro meridianos atravessam os braços e são atribuídos ao coração (coração, intestino delgado, triplo aquecedor e meridiano do pericárdio). É por isso que os braços, em geral, estão intimamente ligados às nossas emoções e expressam ativamente nossos sentimentos internos.

Nossos braços superiores são usados para expressar força, poder e confiança. Braços superiores potentes expressam força e poder; eles nos ajudam a defender e bloquear; e proteger nosso coração e nossos órgãos internos de serem feridos.

Às vezes é necessário nos esforçarmos com afirmação e agressão, mas muitas pessoas têm medo de afirmar-se porque isso permite que sentimentos poderosos surjam através delas. Assim, por medo, muitos de nós desistem de deixar essa energia fluir para a frente, reprimindo nossos sentimentos poderosos. Nós nos dissociamos de nós mesmos e ativamente estendendo a mão e agarrando a vida. O problema com isso é causar raiva nos outros por não ver nossas necessidades e raiva de nós mesmos por nossa incapacidade de afirmar nossos desejos.

Ressentimentos de longa data, raiva, amargura, medo, culpa, etc., desempenham um papel em debilitar nossa energia na parte superior dos braços. Em vez de deixar a energia do nosso coração fluir para frente, nós nos retraímos e a retemos. Além disso, alguns homens e mulheres superdesenvolvem esses músculos, que metafisicamente podem simbolizar, a resistência de expressar sua energia sincera.

Dor no braço, metafisicamente, significa que nosso poder pessoal, e a auto-estima está de alguma forma sendo restrita. Essas questões podem envolver sentimentos de inadequação, falta de ‘intimidade emocional’ e dificuldade em expressar / liberar emoções. Pessoas com dor no braço podem sofrer de tendências passivo-agressivas, indicando que o que quer que tentem suprimir e controlar devido ao medo, vergonha, culpa, etc., acabará por encontrar o caminho para a superfície.

ÁREA TORÁCICA / OMBRO

As 12 vértebras da coluna torácica curvam-se para fora, estrategicamente colocadas entre as duas curvas internas do pescoço e das costas. Juntas, as extremidades superior e inferior da coluna torácica estão sujeitas ao estresse, assim como o centro dessa área curva. A coluna torácica é uma parte intrínseca da ‘gaiola’ das costelas, apropriadamente denominada de corpo para os pulmões e o coração, tanto como proteção quanto para inspirar e expirar profundamente.

Logo acima da coluna torácica estão as vértebras cervicais C6 e C7. Metafisicamente estes também se aplicam a uma torcicolo, dor no ombro, ombro congelado e problemas no cotovelo….

“C6 – Sentir-se oprimido por preocupações, ansiedades e tensões. Ao invés de lidar com seus próprios problemas, se intrometer na vida de outras pessoas para resolver seus problemas e desviar a atenção dos seus. Resistindo à vida, sentindo-se preso, com medo de abandonar velhos medos e mudar …

C7 – Sentindo-se cansado, sem inspiração, drenado, emocionalmente ferido, mentalmente obscuro. Imobilizado pela negatividade, falta e medo do futuro. Sentindo-se entorpecido e desconectado de sua própria verdade e senso de poder. No nível físico: problemas de tiróide, resfriados, dor no ombro … ”A Linguagem Secreta do Seu Corpo ~ Inna Segal

Sabe-se que muitas ocupações criam e reforçam as tensões nos ombros. Digitar, trabalhar em uma mesa ou trabalhar em uma máquina ou computador pode causar tensão nos ombros. Quando você afunda sua respiração fica superficial e as tensões se desenvolvem. Os ombros são o repositório de grande parte de nossa tensão e estresse. Eventualmente, a tensão se torna crônica, contribuindo para a fadiga, e isso também afeta outras partes do corpo. A tensão crônica no ombro pode inibir a circulação para os braços e pernas, causando mãos e pés frios.

A coluna torácica é parte integrante da função do ombro. Esta é a parte das costas que enfatiza a postura espinhal e movimento e tensão neurológica sentida no coração e nos pulmões. Longos períodos de trabalho curvados e má postura aumentam ainda mais o problema. Além das cepas severas do ombro e da costela, a coluna torácica tende à rigidez, com perda de flexibilidade e desenvolvimento de curvas excessivas para a frente ou para os lados (escoliose). A parte superior das costas é uma área frequente para espasmos musculares e dores lancinantes; muitas vezes irradia para a frente do corpo, imitando as condições cardíacas ou pulmonares. Costelas são anexadas, através de cartilagem para o esterno, estes anexos estão sujeitos a rigidez, dor ou inflamação (costocondrite).

“Parte superior das costas: Esta área está atrás do coração, então expressa o lado de trás da energia do coração: raiva, ressentimento, resistência, expressão amorosa, medo ou rejeição do amor. Isso pode ser visto na corcunda da viúva, uma massa acumulada de tecido que pode ser formada por estados mentais reprimidos e frustrados. Esta parte das costas é também uma parte dos ombros, então a energia expressa aqui está conectada à nossa confusão e incapacidade de estar fazendo o que realmente queremos. Este é o primeiro estágio após a concepção, então aqui está nosso propósito incerto, nossa ambição frustrada, nosso anseio não realizado de fazer ou ser algo diferente. A dor aqui tem a ver com a carga que estamos carregando, mas sem reconhecer abertamente, a carga oculta de sentimentos reprimidos e negativos. Acne nesta área é raiva reprimida ou irritação tentando encontrar liberação. Muitas vezes isso acontece porque nos separamos de quem realmente somos e de quais são nossos sentimentos mais profundos. Aqui também vamos sentir ressentimento por alguém que é uma “dor nas costas”; ou vamos querer virar as costas para alguém, desse modo afastando o nosso coração deles. ”The Bodymind Workbook ~ Debbie Shapiro

Os ombros são bastante engenhosos para mover-se de bom grado e superar obstáculos, mesmo diante das adversidades. Sua aparência parece “ampla o suficiente” para carregar todo o corpo com confiança; é justamente quando as coisas se tornam muito esmagadoras, de muitas responsabilidades que os ombros se encurvam em desafio e começam a reclamar. Quando os ombros se tornam desafiadores, os músculos torácicos contraem-se demais. A parte superior das costas é onde as memórias de sentimentos feridos, juntamente com as de medo, culpa, vergonha e confusão emocional são armazenadas; é também onde os desejos perdidos estão profundamente enterrados.

Quanto mais mantivermos nossos sentimentos e lutas para nós mesmos, mais tensos e rígidos serão os ombros. Quantos de vocês com dor no ombro estão fazendo o que você realmente quer fazer em suas vidas?

Você é realmente livre para se expressar?

você vem de um espaço de amor e carinho? Você está com alguém que você gostaria de abraçar com todas as suas forças?

Você realmente quer participar da vida, ou o medo está atrasando você e fazendo com que você procrastine?

Você tem medo de ser você mesmo, de agir livremente, de fazer o que quiser?

Você recua, retira ou retém idéias pessoais como uma maneira de evitar um confronto?

Você está preocupado com o que os outros podem pensar?

Toda essa tensão mental e / ou culpa e medo causam inflamação em seus ombros. Os músculos então mudam, torcem e giram para acomodar essas emoções disformes. Com os ombros curvados, você pode se sentir sobrecarregado pelo peso dos problemas da vida, ou pela culpa das ações passadas. Ou seus ombros imediatamente se tornam rígidos de medo e ansiedade; agravada pela incerteza e insegurança.

Os ombros retidos, empurrando o peito para fora tendem a endurecer de determinada posição. Então, incline-se para a frente, freneticamente tentando atravessar um ponto e até mesmo enfiando o pescoço no rosto de outra pessoa. Você tem que parar de se depreciar e tentar controlar seu mundo. Quanto mais você fizer isso, mais o seu pensamento ficará distorcido e confuso. Quando isso acontecer, você terá problemas para tomar decisões ou agir.

“Da lombada dos ombros até as mãos está o nosso centro: como nos sentimos sobre o que estamos fazendo, sobre o que está sendo feito para nós, sobre nossa capacidade de lidar com nossas vidas. Essa área também representa nosso desejo de nos expressar: através do uso de nossas mãos, podemos expressar nossas energias artísticas e criativas mais íntimas; através de nossos braços e mãos podemos compartilhar nosso amor e dar energia do coração; através de carícias, tocar e segurar, podemos nos aproximar, puxar ou afastar.

Os ombros expressam isso nos níveis internos – especificamente nossos sentimentos profundamente pessoais sobre o que estamos fazendo ou o que está sendo feito para nós. Quantos de nós estão realmente fazendo o que queremos fazer? E com que frequência estamos em conflito real sobre o que deveríamos estar fazendo? É aqui que carregamos nossos fardos, fazendo algo a contragosto, mesmo que não queiramos realmente, ou nos apegando à culpa e às emoções negativas do passado para fazer algo que já fizemos. Um “ombro frio” pode ser um resfriado emocional que estamos experimentando dentro de nós mesmos em relação a alguém ou algo, ou pode ser um ombro frio sendo direcionado para nós de outra pessoa.

Os braços movem essa energia para fora, dos nossos sentimentos e desejos interiores para a expressão deles no mundo. Os cotovelos dão flexibilidade e graça a esse fluxo de energia, adicionando o esforço necessário para garantir a manifestação. Os pulsos se movem ainda mais. Um conflito no pulso pode indicar que há algo que deveríamos estar ou querer fazer, mas não estamos; por alguma razão, estamos nos afastando dessa expressão final ”Deb Shapiro ~ The BodyMind Workbook

A dor indica especificamente a dor de não abrir o seu coração. Nós acumulamos tudo o que aconteceu conosco ou coisas que fizemos que impediram ou impediram que nossos corações se abrissem. Por exemplo, culpar os outros – geralmente nossos pais – por nossa própria condição na vida. Culpando nossos pais, não os perdoamos. Por não perdoá-los, não os amamos. O que significa que não nos amamos, o que impede que nossos corações se abram.

A dor no braço é muitas vezes uma dor complexa e multifacetada, à medida que a energia que está causando o desconforto passa pelos seis meridianos do braço. Pulmão, intestino grosso, pericárdio, triplo aquecedor, pequeno em tempo de teste e meridianos do coração.

Os tipos de energia mental sutil que correm através desses meridianos podem ser uma mistura das energias emocionais, mentais e comportamentais e podem se manifestar como diferentes tipos de dor física. As energias emocionais que correm através desses meridianos são geralmente energias completas, como solidão, tristeza na vida, ou a experiência de ter que viver em um casamento sem amor. Essas energias causam contração, frieza e peso nos músculos que cercam esses meridianos. Outras energias emocionais, como ódio pela vida ou raiva e aparente, ou esposa que nunca amou você, causam dureza e tensão nos músculos. Quando a dor da vida o fere até o âmago do seu próprio ser, as energias acumuladas podem se introduzir nesses ossos humorísticos em si podem ser bastante intensos. Energias mentais e comportamentais que correm através dos seis meridianos que impediram o coração de abrir as energias de perdoar isso, a necessidade de infligir dor em alguém que o machucou, a necessidade de construir uma barreira de proteção contra um pai ou esposa desamoroso ou culpar os outros pelas suas próprias circunstâncias. Essas energias causam dureza e tensão nos músculos que cercam o funcionamento desses meridianos. Uma energia comportamental específica, a que você usa na manutenção do seu passado doloroso, causa compressão, dor e fraqueza no tríceps, para o qual corre o grande tempo de teste em Meridian, cuja função energética é abandonar o passado. A impressão no tríceps faz com que o braço enfraqueça quando você tenta levantá-lo acima da cabeça.

Abrir o coração, seja através do Reiki (e outras formas de cura), yoga, liberação miofascial, massagem terapêutica, etc., ajudará os meridianos do braço a se abrirem. Se você se sentisse não amada como criança e lutasse com amor agora, abrir os meridianos pode causar dor intensa a princípio, mas desencadeará uma liberação de dor de outras áreas do corpo. Onde você perceberá que a maior parte da dor pode estar ligada: os músculos deltóides, o manguito rotador, a parte inferior da escápula, entre as omoplatas, a frente do quarto chakra, as costas do quarto chakra. Se você está no estágio inicial de aconselhamento espiritual, massagem ou prática de yoga, pode descobrir que não está apenas liberando energias nocivas de seu próprio passado, mas também do passado de seus pais.

Emocionalmente, o coração só abrirá depois que os meridianos do pulmão, do intestino grosso, do pericárdio, do triplo aquecedor, do intestino delgado e do coração se abriram energeticamente. Esse processo leva tempo, paciência, compreensão e perdão. Quando o meridiano do coração se abre, ele libera uma enorme quantidade de calor e calor que percorre o interior e a parte superior e inferior do braço, passando pelo pulso e saindo pelo centro da mão. É uma energia maravilhosa.

DIAFRAGMA RESPIRAÇÃO

Quando estamos estressados, nossos músculos se contraem fazendo com que o sangue em nosso sistema pare de fluir adequadamente, desconectando nossas energias superiores e inferiores do corpo. O músculo responsável por conectar nossos chakras superiores e inferiores é um grande músculo em forma de cúpula chamado diafragma, que está diretamente sob os pulmões. Quando respiramos fundo, o diafragma se estende para permitir a entrada de ar nos pulmões. Ao expirar, o diafragma se curva para dentro e para cima para ajudar a forçar todo o ar indesejado a sair dos pulmões. O diafragma é um dos músculos mais subutilizados do corpo, a razão de ser, a maioria de nós respira da parte superior do tórax, em vez de deixar o diafragma fazer o seu trabalho.

Muitos de nós quando estressados se tornam respiradores no peito. O que acontece quando fazemos isso, apertamos os músculos abdominais, criando uma forma leve de hiperventilação (descarregando muito dióxido de carbono do sangue). Isso faz com que o coração trabalhe mais.

Muitas das restrições em sua respiração vêm de músculos apertados em um padrão de espera. Nossas velhas tensões e dores nos fazem mover menos os músculos. Eles ficam tensos quando nos sentimos desapontados ou desiludidos ou traídos, deflacionados ou derrotados. A respiração diafragmática facilita o processo de deixar ir, de liberar apegos emocionais desnecessários para que a vida possa fluir mais facilmente.

Se você puder fazer 15 minutos de respiração consciente a cada dia, em apenas algumas semanas a sua respiração mudará permanentemente para o baixo-ventre. Quanto mais profundamente você respirar no centro de seu corpo, mais seu corpo inteiro participará do processo, restaurando o equilíbrio de todo o seu sistema. Você se sentirá calmo e energizado à medida que essa nova energia rompe velhos hábitos e padrões e flui livremente através de seu corpo.

ROLANDO O OMBRO E RESPIRANDO

• fique com os pés ligeiramente separados e os braços ao lado do corpo.

• inspire e puxe os dois ombros para trás e para cima, na direção dos ouvidos, o mais alto que puder, sem forçar .

• ao expirar, role seus ombros para baixo e para frente até a posição inicial.

• Ao fazer este movimento suave, lenta e suavemente, relaxe os ombros, sentindo a tensão sendo liberada dos músculos.

• repita até 10 vezes, 3 a 5 vezes por dia (do excelente livro HEALING BACK PAIN NATURALLY de Art Brownstein MD)

@Interconexão

Se você acha isso útil, compartilhe com outras pessoas !

Se você gostou deste artigo também pode se interessar por :Emoções que afetam parte superior, média e inferior das costas #Metafísica

Livros Recomendados Sobre esse Assunto:


Itens que podem ser úteis: